Cuidar de si e do outro - Parte 1

Estive durante alguns dias imaginando como iniciar um texto que falasse sobre o Cuidado. Grafo assim mesmo a palavra cuidado, com o "C" maiúsculo por tratar dele enquanto um substantivo, e continuarei grafando assim. Vivemos talvez uma época em que o homem parece estar esquecendo do que seja, e existe um movimento de robotização. Estamos envolvidos de gadgets, de tecnologia, de cobrança por resultados e ainda as grandes corporações que consomem pessoas e consomem ainda as menores organizações, que precisando sobreviver consomem outras pessoas, que desejam ser maiores e mais produtivas. Existem movimentos, ainda, que em nome de uma qualidade de vida buscam soluções para toda esta paranoia, criando uma outra. E neste meio todo estão as pessoas, independente de suas ambições.

Eu quero entrar no tema do cuidado pois parece-me imperioso para os dias atuais sabermos cuidar das pessoas. Diz-se que estamos vivendo na "geração mimimi", que é uma geração dengosa e melindrada. Diz-se ainda que as famílias estão diminuindo. Diz-se, também, que viveremos mais. Estamos também numa geração saúde, que corre e posta nas redes sociais. Que come alimentos orgânicos e funcionais. Temos de tudo em um espaço geográfico  e cibernético pequeno demais para o sonho de todos. Todos estão cuidando de si, ou esperando estar fazendo isso. A minha ideia é refletir sobre se este cuidado consigo mesmo não seja uma estratégia para a superação dos outros, para além de uma integração necessária para a própria vida. Sim, existe no cuidado com o outro uma contrapartida invisível, que é o auto-cuidado.

Imagem extraída da internet


Então desejei escrever sobre o que temos esquecido: de nos preparar para o Cuidado. Quis criar um contraponto à preparação para o Mercado, mas não sei se fui ou serei feliz, pois a ideia não é a de trata-los como diametralmente opostos, mas de partes que compõem uma mesma moeda: a ambição, a sobrevivência, e a convivência. Saber viver significaria cuidar de si, de seus anseios, e cuidar dos outros. Eu particularmente penso que a humanidade é um organismo único.

Foi então que caiu em minhas mãos um texto chamado "O cuidado de si para o cuidado do outro", escrito por Karla Patrícia Cardoso Amorim, e publicado na Revista eletrônica "Bioethikos", do Centro Universitário São Camilo. É sobre este texto que pretendo me debruçar nos próximos dias, para num primeiro momento refletir sobre esta capacidade de cuidar, que todos temos, e juntamente com outras habilidades intelectuais e técnicas, formarão o homem do futuro - e já do presente, pois precisamos muito do Cuidado.

O texto pode ser lido em PDF no seguinte link: Clique aqui para baixar e ler.


Nenhum comentário:

Postar um comentário